Por iniciativa da Câmara Municipal de Viana do Alentejo, membro da ENPP, realizam-se nos dias 3 e 4 de Setembro 2021 várias iniciativas e eventos comemoram os 542 Anos do Tratado de Alcáçovas/Toledo, também conhecido como “Paz de Alcáçovas”, assinado em 4 de Setembro de 1479..

As iniciativas comemorativas terão lugar no Paço dos Henriques, em Alcáçovas, local onde foi assinado o Tratado que pôs fim à Guerra de Sucessão de Castela (1475-1479) e abriu as portas para a expansão marítima dos dois países ibéricos.

No dia 3 de Setembro, a partir das 18:30 horas, Bela Mestre apresentará o livro “Portas e Janelas que Contam com Histórias” que reune 30 imagens de aguarelas originais de portas e janelas da vila de Alcáçovas a que se seguirá a inauguração de uma exposição dessas imagens que ficará patente no Paço dos Henriques.

No dia 4 de Setembro, a ceramista Helena Garcia irá dinamizar um atelier de cerâmica, seguindo-se pelas 17 horas a apresentação do projecto mural “As Mulheres e a Sabedoria passada entre Gerações”, mural aberto à participação da população e o qual pretende celebrar o papel das mulheres da região e a sua sabedoria ao longo de gerações.

O programa de comemoração dos 542 Anos do Tratado de Alcáçovas/Toledo fechará pelas 18:30 horas do dia 4 de Setembro com a Conferência intitulada “D. João, Marquês de Montemor e Senhor das Alcáçovas. Aspectos biográficoa e políticos” e que retratará a personagem histórica de D. João de Bragança.

A nova exposição no Castelo de Hubertusburg em Wermsdorf Alemanha) , prevista para este ano, está em vias de ser realizada e, pela primeira vez, a população local também está envolvida porque a Colecção de Arte do Estado de Dresden (SKD), entidade responsável por este castelo alemão , convidou todos os que se sentem ligados ao castelo para ajudar a criar esta exposição.
A curadora responsável, Selene Vincent, do SKD, destacou que a mostra não é só história, mas também atualidade. “Estamos interessados ​​em juntar todas as pessoas associadas a este lugar”, disse ela.
A exposição estará disponível no Castelo de Hubertusburg a partir de 11 de setembro de 2021, existindo já  bastante material recolhido, quer seja material histórico ou peças individuais da antiga fábrica de faiança de Hubertusburg.
A popularidade que esta exposição está a ter não surpreende, já que existe um forte desejo local de chamar os visitantes a disfrutar de um nova exposição no castelo.
Muitas das exposições das Coleções de Arte do Estado de Dresden também serão apresentadas neste Castelo, reconhecido como a maior residência real de caça da Saxónia.
Tematicamente, a nova exposição apresentará os seguintes conteúdos, entre outros:
– a história da construção e uso do Castelo
– a história do Tratado de Paz de Hubertusburg
– a floresta e a caça
– as personalidades históricas, bem como, objectos de faiança e barro.
A exposição deverá ficar aberta ao público até ao próximo mês de Novembro.

Para o  próximo ano está previsto o lançamento de outra exposição. O anúncio foi feito pelo membro da CDU do parlamento estadual, Dr. Christiane Schenderlein, tendo em conta que os fundos necessários aprovados pelo Governo do Estado Livre da Saxônia já estão disponíveis.
O Freundeskreis Schloss Hubertusburg eV, (Liga dos Amigos do Castelo de Hubertusburgo), membro da ENPP, em conjunto com a administração municipal de Wermsdorf e outros actores da região, apoiará activamente os preparativos desta exposição, na qual  a Paz de Hubertusburg e o trabalho conjunto na Rede Europeia de Sítios da Paz também desempenharão um papel importante.

A ENPP lançou um video promocional da Places of Peace Route com o objectivo de divulgar os principais objectivos e campos de actividade da Rota que liga os 12 locais da Europa onde foram assinados Tratados de Paz que a integram.
Para além de informação geral sobre a Rota, o video contém testemunhos da Presidente do Conselho Científico da Rota, Áurea Rodrigues, da membro deste Conselho, Patrizia Battilani, dos Presidentes de Câmara de Kaynardzha (Bulgária), Edirne (Turquia), Zadar (Croácia), Viana do Alentejo (Portugal), Wermsdorf (Alemanha) e Vasvár (Hungria) bem como do Eurodeputado espanhol Francisco Millán Mon, Presidente do Intergrupo Caminhos de Santiago e Outras Rotas Culturais, do Parlamento Europeu.
O video está disponível no YouTube no link https://youtu.be/JT3xzcYApWI.

O Projecto “Places of Peace Route (Rota dos Sítios da Paz) que é parte do projecto mais largo da Associação European Network of Places of Peace (Rede Europeia dos Sítios da Paz) conquistou o 2º prémio na categoria ONG/Associações, durante o evento “Planetiers World Gathering” realizado na cidade de Lisboa, na passada sexta-feira, 22 de Outubro.

A organização “Planetiers” orienta a sua atividade para a sustentabilidade do nosso planeta, integrando temas muito diversos, entre os quais a “cultura pela paz”. Mohan Munasinghe, vencedor do Prémio Nobel da Paz em 2007 foi um dos palestrantes principais deste evento.

Places of Peace Route” é uma rota cultural de sítios da Europa onde foram assinados Tratados de Paz constituída em 2012 e que tem como objectivos principais a disseminação da cultura pela Paz e a promoção turística dos sítios que a integram.

Actualmente a “Places of Peace Route” integra 11 sítios da Europa localizados em 9 países: Alcáçovas e Évora Monte (Portugal), Alcañices (Espanha), Altranstädt e Hubertusburgo/Wermsdorf (Alemanha), Trencin (Eslováquia), Vasvár (Hungria), Zadar (Croácia), Kaynardzha (Bulgária), Bucareste (Roménia) e Edirne (Turquia) e é Rota Candidata a Rota Cultural do Conselho da Europa, para o período de avaliação 2020/2021.

O prémio que lhe foi atribuído é um reconhecimento da qualidade do projeto “Places of Peace Route” e um importante incentivo para o trabalho que as instituições públicas e privadas dos vários locais da Rota têm vindo a realizar com vista á sua visibilidade e implantação europeias.

No seguimento da submissão do dossier de candidatura da Places of Peace Route a Rota Cultural do Conselho da Europa no passado dia 30 de Julho, o Secretariado do Acordo Parcial Alargado das Rotas Culturais (EPA) informou a Direcção da ENPP e da Rota que a documentação enviada cumpre os critérios estabelecidos pelo Conselho da Europa e por isso está em condições de passar à segunda fase do processo de avaliação.

Para esta segunda fase, o Secretariado do EPA das Rotas Culturais, com sede no Luxemburgo, já nomeou um perito independentemente que terá a seu cargo fazer a análise documental da candidatura e a sua concordância com os critérios de certificação definidos pelo Conselho da Europa.

Este ano, devido aos constrangimentos na mobilidade provocados pela pandemia COVID19, as habituais visitas de campo a locais da Rota serão substituídas por entrevistas online com a Direcção da Rota e com os seus membros.

Este primeiro resultado reflecte o empenhamento de todos os membros da Rota, desde Portugal até à Turquia, em conseguir já este ano o que consideram ser amplamente merecido: a certificação da Places of Peace Route como Rota Cultural do Conselho da Europa quer pelo tema que lhe está subjacente – a Paz – quer pela forma positiva e abrangente como ele é assumido pela Rota.

Após decisão da Assembleia Geral da ENPP e da Reunião do Conselho Científico da Places of Peace Route, a Direcção da ENPP submeteu com sucesso uma nova candidatura da “Places of Peace Route” (Rota dos Lugares da Paz) a Rota Cultural do Conselho da Europa para o ciclo de avaliação 2020 -2021.

Esta nova candidatura envolve 12 locais localizados em 9 países europeus (de leste a oeste): Edirne (Turquia), Kaynardzha (Bulgária), Bucareste (Roménia), Zadar (Croácia), Vasvár (Hungria), Trencin (Eslováquia), Bautzen ( Alemanha), Hubertusburg/Wermsdorf (Alemanha), Altranstädt (Alemanha), Alcañices (Espanha), Évora Monte (Portugal) e Alcáçovas (Portugal).

Com a apresentação desta candidatura, inicia-se um processo que a Direcção da ENPP e todos os seus membros esperam que termine com a certificação da Places of Peace Route pelo Conselho da Europa, o que poderá acontecer em Abril de 2021 durante a reunião do Governo do EPA das Rotas Culturais do Conselho da Europa, se o calendário previsto não sofrer alterações.

ENPP esteve hoje presente no OSI Geneva Forum realizado no edifício das Nações Unidas na capital suiça. OSI é uma organização não-governamental com o estatuto de consultor especial do Conselho Económico e Social das Nações Unidas.
A apresentação da ENPP aconteceu durante a 6ª. Conferência Anual sobre Turismo Sustentável pela Paz e Desenvolvimento  e esteve a cargo da Dra. Áurea Rodrigues, Presidente do Conselho Científico da Places of Peace Route.
O convite para esta apresentação surgiu após a submissão de um abstract sobre os objectivos e actividades da ENPP e da Places of Peace Route e da sua aprovação por parte da organização deste Forum.
Esta acção permitiu dar conhecimento às organizações presentes na Conferência àcerca do que é a ENPP e quais são os seus principais objectivos e mereceu o interesse e a atenção dessas organizações. Inúmeras contactos com diversas organizações internacionais foram realizados durante o dia de hoje os quais decerto serão úteis para o futuro desenvolvimento do nosso projecto.
O Forum Genebra continuará até à próxima sexta-feira.

A ENPP estará representada no 11º GENEVA FORUM, que será realizado em Genebra de 9 a 13 de dezembro de 2019 na sede das Nações Unidas naquela cidade suíça e contará com a presença de várias organizações governamentais e não governamentais de todo o mundo.
O GENEVA FORUM é organizado pela ONG OSI
(Objectif Sciences International), uma ONG focada na educação científica, com estatuto especial de organização consultiva  da ONU (ECOSOC) e líder no campo da ciência para os cidadãos(desde 1992) e é a organização que criou os primeiros campos de pesquisa participativos ( 2004).
A apresentação daENPP será feita durante a Conferência “Turismo Sustentável para a Paz e Desenvolvimento“, que será realizada no dia 9 de dezembro, segunda-feira, e resulta da aprovação pelo organização do Fórum do texto-resumo enviado pela ENPP e que pode ser encontrado na secção “VALIDATED PRESENTATIONS” em http://www.osi-genevaforum.org/Sustainable-Travel-Tourism-Peace-Development.
O texto completo deste resumo, preparado por Áurea Rodrigues, Presidente do Conselho Científico da Rota dos Sítios da Paz com a colaboração de Apolónia Rodrigues, Coordenador da Rota dos Sítios da Paz, e Eduardo Basso, Presidente da ENPP, é o seguinte:

A cultura tornou-se um produto essencial no mercado internacional de turismo, com o número de turistas envolvidos a atingir  40% das chegadas internacionais em 2016 (OMT, 2016). A cultura está a tornar-se um factor central de atracção turística. Patrimônio e turismo cultural podem contribuir para a sustentabilidade dos destinos. Ambiente, lugar social, sistemas culturais e desenvolvimento do turismo estão indissociavelmente ligados numa relação em que os valores locais são respeitados e quando também são transmitidos ao turista A Rota dos Lugares da Paz na Europa representa um dos valores europeus mais genuínos trazidos até hoje através da experiência e da memória dos lugares da Europa onde a paz foi um facto, os lugares onde  foram assinados Tratados de Paz. A Rota também enfatiza a sua contribuição para o fortalecimento do conhecimento mútuo e o intercâmbio de experiências entre os povos europeus, a sua acção na pesquisa histórica científica sobre os Tratados de Paz na Europa, a disseminação de uma cultura de paz numa perspectiva educacional em conjunto com a geração mais jovem, bem como a contribuição decisiva que deu à recuperação e valorização do patrimônio material europeu. A Rota dos Lugares da Paz inclui 11 lugares de 8 países europeus (Alemanha, Bulgária, Croácia, Eslováquia, Espanha, Hungria, Portugal e Romênia).
A ENPP espera aproveitar esta excelente oportunidade para divulgar os seus objetivos e atividades por todo o mundo.

Sob o título “Rota Cultural não foi certificada, mas não vamos desistir – a rede europeia que integra o Castelo de Hubertusburg quer continuar o trabalho da paz”, o jornal alemão “Oschatzer Allgemeine Zeitung” publicou recentemente um artigo da autoria da edotora  Jane Brechlin, no qual analisa a candidatura da Rota dos Sítios da Paz (Places o0f Peace Route) a Rota Cultural do Conselho da Europa e reflete as opiniões de vários membros da Associação dos Amigos do Castelo de Hubertusburg e do Presidente da Câmara de Wermsdorf (Alemanha),  Matthias Müller, sobre todo esse processo.

Aqui está o texto completo desse artigo:

“Após um ano e meio de esforço e esperança,  está agora claro que a Rota dos Sítios da Paz não será certificada como Rota Cultural do Conselho da Europa. Pelo menos ainda não.

Representantes de um total de onze locais europeus onde foram assinados tratados de paz, lançaram o pedido em conjunto. A Associação dos Amigos do Castelo de Hubertusburg também participou nesta candidatura, uma vez que a Paz de Hubertusburg foi aqui ratificada  em 1763 pondo um ponto final à Guerra dos Sete Anos. A Rede de Lugares da Paz pretendia conectar esses lugares espalhados por um total de oito países como  Rota Cultural do Conselho da Europa.

Em Fevereiro, um especialista nomeado pelo Conselho da Europa esteve em Wermsdorf para examinar as aplicações de Hubertusburg, Altranstädt e Bautzen – os três membros alemães. “Maria Gravari-Barbas deixou claro, no entanto, que “não decido sobre isso, mas transmitirei o  meu relatório aos representantes da Comissão, que fará propostas de certificação ao Conselho da Europa “.

A Rede Europeia de Sítios da Paz (ENPP) foi um dos oito candidatos a chegar à ronda final de certificação. Porém, o resultado foi o não-reconhecimento como uma rota cultural do Conselho da Europa. Mas não há vestígios de desalento: “Embora não tenhamos sido designados como Rota Cultural Europeia este ano, o Conselho Executivo e os membros veem neste processo geral um grande reconhecimento dos muitos anos de trabalho bem-sucedido de nossa organização“, diz da rede.

O processo de candidatura teve muitas coisas boas. Por exemplo, foi criado um novo website, no qual a rota e cada local individualmente são apresentados. Além disso, a percepção pública dos locais de paz aumentou significativamente.

O Presidente da Câmara de Wermsdorf, Matthias Müller (CDU) também destaca isso mesmo: “Hubertusburg e os outros lugares de paz tornaram-se mais conscientes do seu papel no contexto europeu – e isso por si só é importante“, disse ele. No entanto, foi uma pena que a certificação não tivesse sido alcançada. “Acho isso lamentável, porque muito trabalho foi feito para a candidatura“.

A própria rede conta que esses esforços venham a ter efeito a longo prazo. Dessa maneira, a rede e os todos envolvidos na rota da paz irão continuar o seu trabalho. Além disso, foi criado nos últimos meses o Conselho Científico da Rota dos Sítios da Paz, na qual estão envolvidos especialistas em história e turismo cultural de todos os países participantes. “A nossa candidatura até ajudou a melhorar os procedimentos do Conselho da Europa para avaliação dos itinerários culturais“, facto de que  a associação se orgulha.

Ideias sobre como fazer uma rede ainda melhor no futuro também já foram apresentadas em Wermsdorf. Como exemplo, Ulf Müller citou a possibilidade de oferecer eventos especificamente para jovens. Wolfgang Köhler, presidente da Associação de Amizade do Castelo de Hubertusburg, garantiu ao público que eles já tinham muitos anos de experiência local a esse respeito e referiu-se às competições bienais do Prêmio da Paz da Juventude: “Observamos repetidamente que o assunto está muito próximo do coração dos jovens e é emocionante ver como os jovens vêem a paz “, deixou claro na apresentação.

Durante todo o período da candidatura a rota cultural, houve cooperação ativa na rede Lugares da Paz e amplo apoio. Ulf Müller, da Direcção da rede, enfatizou que queremos agradecer a todos por isso. “Muitos desenvolvimentos aqui em Hubertusburg dão-nos a coragem de ser optimistas e continuar a olhar em frente. Não vamos parar com o trabalho iniciado, apenas porque agora não fomos bem sucedidos com a certificação a rota cultural. Portanto, o reconhecimento poderá ser examinado no futuro, possivelmente também por outros certificados europeus”.

O Presidente da Câmara de Wermsdorf comprometeu-se a obter o apoio de um eurodeputado: “Eu sugiro que tenhamos a colaboração do nosso deputado Peter Jahr“, diz Matthias Müller. Ele certamente poderá ajudar a melhorar qualquer fraqueza na candidatura e, assim, aumentar as chances de que a rota conjunta com o Castelo Hubertusburg e outros locais de paz europeus ainda seja reconhecida como uma rota cultural. Müller está convencido de que nada mudou no significado e no conteúdo da Rota: “A paz é hoje mais importante para nós do que nunca. É por isso que é necessário aproveitar todas as oportunidades para nos focarmos no tópico da Paz“.

Em Setembro de 2017, a Rede Europeia dos Sítios da Paz (ENPP) apresentou a candidatura da Rota dos Sítios da Paz a rota cultural do Conselho da Europa, a qual foi transferida para o ciclo de avaliação 2018/2019. Esta candidatura baseou-se no facto de o seu tema geral – a paz – e o seu tema específico – os locais na Europa onde foram assinados tratados de paz  – serem um genuíno valor europeu.

A candidatura da Rota dos Locais de Paz integrou 11 locais em 8 países europeus: Portugal, Espanha, Alemanha, Eslováquia, Hungria, Croácia, Bulgária e Roménia.

A Rota dos Sítios da Paz foi um dos oito candidatos a atingir a ronda final da certificação do Conselho da Europa. Apesar de não termos sido designados como Rota Cultural Europeia este ano, a Direcção  e os membros da ENPP consideram este processo global como um grande reconhecimento dos muitos anos de trabalho bem sucedido da nossa organização.

Todo o processo envolvido nesta candidatura também teve muitos aspectos positivos para nossa rede e nossa rota. Em particular, permitiu que a discussão sobre os quase esquecidos Tratados de Paz Europeus fosse levada ao nível das instituições europeias e que os conteúdos específicos da Rota fossem aprofundados internamente. A percepção pública do nosso percurso e a sua visibilidade a nível europeu e global foi significativamente aumentada e foi criado um novo website dedicado à rota e aos suas locais com versões em inglês, alemão e português. Além disso, foi criado o Conselho Científico da Rota dos Sítios da Paz, integrando renomados cientistas nas áreas da história e do turismo cultural, de todos os países da rota. A nossa candidatura ajudou mesmo a melhorar os procedimentos do Conselho da Europa para avaliação dos itinerários culturais.

A ENPP e a Rota dos Sítios da Paz continuarão a funcionar de forma consistente. Não começámos com a certificação pelo Conselho da Europa e não iremos acabar porque ainda não recebemos esta certificação este ano. Continuaremos a trabalhar para atingir os nossos objetivos em todos os locais da Rota e a nível europeu, possivelmente tentando a obtenção de outras certificações europeias existentes.

A preparação e o desenvolvimento desta candidatura não foi apenas um trabalho da direcção da ENPP e da coordenação da Rota, antes envolveu activamente todos os membros da ENPP nos oito países  europeus, assim como muitas outras pessoas externas e instituições que apoiaram esta iniciativa. .

Gostaríamos de agradecer a todos aqueles que apoiaram este processo com a certeza de que continuarão a apoiar as futuras atividades e iniciativas de nossa rede.

Maio de 2019

A Direcção da Rede Europeia dos Sítios da Paz