Numa cerimónia simbólica realizada hoje em Évora Monte (Portugal) a gestão do principal monumento desta vila (a Torre/Paço) passou definitivamente para as mãos do Município de Estremoz, membro da ENPP.
A chave deste deste monumento, classificado como Monumento Nacional Português desde 1911, foi entrgue pela Directora Regional de Cultura do Alentejo, Dra. Paula Amendoeira, ao Presidente da Câmara Municipal de Estremoz, Prof. José Daniel Sadio (na foto).
Com esta transferência de gestão, ficam criadas as condições para uma utilização mais frequente e adequada deste importante espaço do Castelo de Évora Monte, local onde foi assinada a Convenção que terminou a sangrenta Guerra Civil que Portugal conheceu no primeiro quartel do século XIX.
Durante a sessão foi ainda apresentado um Plano de Desenvolvimento Cultural para o Castelo de Évora Monte que, entre outras acções, prevê a realização regular de visitas guiadas aos principais locais de interesse do sítio, nomeadamente, a Torre/Paço, a Casa da Convenção e o Centro Interpretativo da Convenção de Évora Monte, a Igreja de Santa Maria e a Capela da Misericórdia.
Na Torre/Paço, constituída por 3 pisos, será montada uma sala de exposições temporárias, uma exposição acerca deste monumento e um museu de pedras tumulares medievais.

 

Um camião com 24 toneladas de equipamentos e bens de primeira necessidade partiu no passado dia 12 de Março da cidade de Estremoz (Portugal) para a cidade de Khotyn (Ucrânia), ambas cidades parceiras da Rede Europeia de Sítios da Paz (ENPP).
Este envio solidário de bens e equipamentos respondeu a um apelo do Presidente da Câmara de Khotyn, Sr. Andryi Dranchuk, feito a todos os seus parceiros internacionais, entre os quais a ENPP e contou com o apoio do Município de Estremoz, de inúmeras empresas locais ou de simples cidadãos e foi transportado de forma gratuita por uma empresa de transportes sediada no Concelho de Estremoz, a empresa “Ricardo Pico Transportes“.
Os equipamentos e bens destinados a Khotyn, uma cidade situada na margem direita do Rio Dniestre onde ainda não se sentem os combates como noutras regiões da Ucrânia mas que tem recebido milhares de deslocados de guerra, foram descarregados junto à fronteira de Siret (Roménia) no passado dia 17 de Março.

Por decisão do seu Conselho Municipal de 26 de Novembro 2021, a cidade de Khotyn, na Ucrânia, oficializou a sua adesão à Rede Europeia de Sítios da Paz (ENPP), alargando assim para 10 o número de países europeus que a integram.

A cidade de Khotyn, com uma população de cerca de 11.000 habitantes, fica situada no sudoeste da Ucrânia e é possuidora de um rico património arquitectónico, no qual se destaca o Forte de Khotyn nas margens do Rio Dniester construído em 1325 (na foto) e de importante património histórico, nomeadamente, a assinatura do Tratado de Khotyn (1621) que pôs fim à Guerra Polaco-Otomana de 1620-1621.

Uma delegação da cidade de Khotyn, chefiada pelo seu Presidente da Câmara, Sr. Andriy Dranchuk já tinha participado presencialmente no 13º Encontro Europeu da ENPP realizado entre 14 e 17 de Outubro 2021, na cidade alemã de Markranstädt.

Brevemente estará disponível no website oficial da ENPP uma página informativa sobre este novo membro da Associação.

Pelo 9º. ano consecutivo, a cidade de Zadar comemorou o aniversário da assinatura do seu Tratado de Paz, numa organização do Município de Zadar, do Mosteiro de S. Francisco, Universidade de Zadar e do Museu “Património e Paz” das Escolas Primárias “Ilhas de Zadar”.

Este ano, devido à pandemia, as comemorações foram mais limitadas no que respeita à participação de público mas não deixaram de contar com a participação de estudantes da Escola Secundária São Benedito, da Escola de Música “Blagoje Bersa” e da Escola Primária “Ilhas de Zadar” bem como do Grupo de Teatro “Posedarje” com uma representação histórica da assinatura do Tratado de Zadar no ambiente do local onde foi assinado – a sacristia do Mosteiro de S. Francisco.

Durante as Comemorações foi possível também escutar os discursos de boas-vindas pelos frades Stanko Škunca e Andrija Bilokapić, os depoimentos do Presidente da Câmara de Zadar, Sr. Branko Dukić, do Director da Escola Primária “Ilhas de Zadar”, Sr. Davor Barić,  e do Prof. Dr. Antun Nekić, do Departamento de História da Universidade de Zadar e membro do Conselho Científico da Rede Europeia de Sítios da Paz, de que a cidade de Zadar é membro desde 2011.

Intervieram ainda, a professora Anamarija Botica Miljanović, sobre a ligação da Escola Primária “Ilhas de Zadar” com estas Comemorações e Anita Gržan-Martinović, Chefe do Departamento de Relações Internacionais da Cidade de Zadar e membro da Direcção da ENPP sobre o papel da cidade na Rede Europeia de Sítios da Paz.

Especial destaque para o discurso do Presidente da Câmara, Sr. Branko Dukić, dirigido aos cidadãos de Zadar e ao Presidente da Rede Europeia de Lugares de Paz, no qual referiu que “a cidade de Zadar é membro de muitas organizações e associações internacionais, mas a Rede Europeia de Lugares de Paz tem um lugar especial, porque a ideia que nos une nesta associação tem um valor universal e duradouro. Tem como missão principal a preservação e o cultivo da paz, promovendo o conhecimento da nossa história, património cultural e social, tradições e costumes, mas também das belezas naturais, defendendo uma vida melhor para todos nós e para as gerações futuras.

Zadar comemora com orgulho o 663º aniversário da assinatura da paz, no mesmo lugar onde foi assinada, num ambiente de paz e espiritualidade franciscana. Estamos a celebrar este acontecimento histórico mais de 600 anos depois, devido ao seu efeito positivo para a nossa cidade e região, incluindo as crianças e jovens de forma a que a memória da paz de Zadar perdure e permaneça viva.”

Todos os eventos do rico programa das Comemorações deste ano foram gravadas e delas será editado um vídeo comemorativo a divulgar através dos media e das redes sociais de forma a ser acessível a todos os que não puderam participar pessoalmente este ano, devido às circunstâncias da pandemia.

O Presidente da ENPP, Eduardo Basso, enviou uma saudação para estas Comemorações na qual defendeu que “a nossa Europa seja verdadeiramente mais Europa da saúde, mais Europa dos cidadãos, mais Europa da paz, porque é exactamente esse o caminho da Europa e o caminho da paz”.

 

Fonte: https://www.grad-zadar.hr/vijest/opce-vijesti-28/663-obljetnica-potpisivanja-zadarskog-mira-6573.html

O Município de Vasvár, membro da ENPP, organiza todos os anos no mês de agosto o „Dia da Paz” em memória do tratado de paz assinado em 10 de agosto de 1664, após a vitória sobre as forças do exército otomano-turco. O Dia da Paz deste ano foi realizado em 15 de agosto de 2020.

O objetivo deste evento foi apresentar o tratado de paz e suas implicações históricas ao público em geral com programas culturais e de entertenimento para todos.

Todos os  que compareceram na Praça daquela cidade foram saudados pelo Sr. Tóth Balázs, Presidente da Câmara de Vasvár, que fez o anúncio dos resultados do concurso de vinhos  a que se seguiu a  cerimónia de prémios deste ano. Nesse grande dia, o vinho jorrou da fonte da cidade.

Depois de um brinde na praça principal, os participantes deslocaram-se para o páteo  da vizinha Casa da Paz onde se realizaram concerto musicais, teatro de fantoches para crianças e visitas guiada às exposições permanentes de artes plásticas patentes na Casa da Paz. O Dia da Paz terminou com um espectáculo pirotécnico deslumbrante, com muito sucesso e muito boas experiências.

O tratado de paz assinado em Vasvár tem um grande significado na vida da cidade e seu povo tem muito orgulho de poder herdar o local onde foi assinado um tratado de paz tão importante e de comemorar ano após ano este significativo evento.

 

Organizadas de dois em dois anos desde 2006 pela Liga dos Amigos do Castelo de Hubertusburg, membro fundador da ENPP,  as “Tertúlias da Paz” voltam no próximo 19 de Setembro ao Castelo de Hubertusburg (Saxónia, Alemanha), local onde foi assinado um dos mais importantes Tratados de Paz com que terminou a conhecida “Guerra dos Sete Anos”.

Subordinadas ao tema geral “30 anos de unidade alemã – maldição ou bênção?“, o evento deste ano concentra num só dia 3 momentos distintos:

A partir das 10 horas, na Capela Católica anexa ao Castelo de Hubertusburg, realizar-se-à um “Encontro pela Paz”, apresentado por Ulf Müller, membro da Direcção daquela Associação alemã e Vice-Presidente da ENPP, o qual reunirá representantes de 6 confissões religiosas diferentes que farão declarações sobre o papel da diversidade da fé e do intercâmbio espiritual na construção da paz.

A partir das 11,30 horas, serão entregues os prémios do “Prémio Jovem da Paz” que atinge este ano a sua 6ª. Edição duma iniciativa que incentiva os jovens alemães a produzirem trabalhos literários, escultórios e de pintura sobre o tema da “Paz”. A apresentação destes prémios bem como desta edição das Tertúlias da Paz estará a cargo do Presidente da Liga dos Amigos do Castelo de Hubertusburg, Dr. Wolfgang Kohler e do Presidente da Câmara de Wermsdorf, Matthias Müller, seguindo-se uma visita à exposição dos trabalhos premiados.

Após o almoço, iniciam-se as “Tertúlias da Paz”, na sala oval do Castelo, sob moderação da Dra. Ine Dippmann, estando previstas intervenções de Werner Rellecke, do Centro Estatal da Saxônia para a Educação Política, Michael Kretschmer, Primeiro Ministro do Estado Livre da Saxônia, Tobias Hollitzer, Membro do Conselho do Comité de Cidadãos da cidade de Leipzig, Dra. Judith Enders, membro do conselho directivo da Associação”Perspectiva Hoch 3″ e Henning Homann, membro do Parlamento do Estado Livre da Saxónia.

As “Tertúlias da Paz” terminarão com um debate entre os discursantes e o público sobre o tema escolhido para este ano.

Completam-se hoje 541 anos da assinatura a 4 de setembro de 1479, no Paço dos Henriques, em Alcáçovas (Portugal), do Tratado de Paz entre as coroas de Castela e Portugal que pôs fim à Guerra da Sucessão do Reino de Castela. Este importante tratado foi também responsável por definir pela primeira vez as áreas de influência de expansão territorial, económica e cultural das duas coroas ibéricas, quinze anos mais tarde consolidada com a assinatura do conhecido Tratado de Tordesilhas.

Pelo Tratado de Alcáçovas foi traçada uma linha imaginária ao nível do paralelo 27, a qual definiu a divisão do domínio dos mares entre as duas Coroas Ibéricas: a norte para a coroa espanhola e a sul para a coroa portuguesa. Espanha recebeu as ilhas Canárias enquanto Portugal obteve reconhecimento do domínio sobre a ilha da Madeira, o arquipélago dos Açores, o de Cabo Verde e a Costa da Guiné.

Para assinalar o aniversário da assinatura deste Tratado histórico, o Município de Viana do Alentejo, Portugal (Membro da ENPP e sede do concelho a cujo território pertence hoje a vila de Alcáçovas) organiza durante este mês de Setembro um ciclo de quatro conferências que terão lugar no Paço dos Henriques, local onde foi negociado e assinado o Tratado e que sofreu importantes obras de recuperação e beneficiação desde 2016 até hoje.

 

Este ciclo inicia-se precisamente hoje, pelas 17 horas,  com uma conferência subordinada ao tema “Revisitar Alcáçovas – Toledo. Novas perspetivas de abordagem à documentação diplomática do tratado, proferida pela Doutora Maria Barreto Dávila, do Centro de Humanidades da Universidade Nova de Lisboa (CHAM).

 

Este ciclo de conferências terminará em 26 de setembro e poderá ser acompanhado online  através de transmissões em direto no Facebook do Município.

Os membros da Associação para a Promoção do Castelo de Altranstädt (Förderverein Schloß Altranstädt e.V.), na Alemanha, membro fundador da ENPP, distribuíram pela população local mais de 200 máscaras comunitárias produzidas pelos seus próprios meios.

As máscaras foram totalmente costuradas pelas senhoras que são membros da Associação e todas elas foram identificadas com o nome e o logotipo da Associação.

A Associação para a Promoção do Castelo de Altranstädt é uma associação sem fins lucrativos fundada com o objectivo de restaurar este Castelo situado no Município de Markransträdt (Leipzig) e no qual foi assinada a chamada “Paz de Altranstädt” em 24 de Setembro de 1706 e que reintroduziu a liberdade religiosana região da Saxónia, após a Contra-Reforma.

A distribuição de máscaras é um pequeno gesto de solidariedade mas que nesta situação de pandemia COVID-19 assume particular significado.

O Município de Kaynardzha (Bulgária) comemorou o Dia Internacional da Paz , último 21 Setembro, com uma exposição de desenhos executados pelos alunos das escolas do Município sob o tema da Paz e sob os auspícios da ENPP.
O Município de Kaynardzha é membro da ENPP desde 2015 e ali foi assinado o conhecido Tratado de Paz Kyuchyuk- Kaynardzha que pôs fim à Guerra Russo-Turca de 1768/1774.
Apesar do tema principal da exposição ser a Paz, os alunos das escolas de Kaynardzha usaram nos seus desenhos muitos elementos ligados à conservação da natureza, estabelecendo significativamente uma relação entre os dois temas – Natureza e Paz.

O Município de Viana do Alentejo, membro da ENPP, é o município português que mais investe em cultura, de acordo com um estudo da responsabilidade da Fundação Francisco Manuel dos Santos.

De acordo com este estudo baseado em dados de 2017, o Município de Viana do Alentejo investe 34% do seu orçamento anual em cultura (a administração central investe apenas 0,2%) o que corresponde a um montante de 391 € por habitante, o que o coloca na frente do ranking de todos os municípios portugueses.

O Município de Viana do Alentejo tem tido ao longo dos últimos anos uma política cultural sustentada na salvaguarda do seu património material e imaterial de que se destacam a inscrição do Fabrico de Chocalhos na Lista de Salvaguarda da UNESCO em 2015 e a recuperação e utilização pública do Paço dos Henriques local onde foi assinado o importante Tratado de Alcáçovas (1479) que pôs fim à Guerra de Sucessão de Castela e abriu as portas para a expansão marítima dos dois países ibéricos.

Foi neste local que, em 2017, foi realizado o 10º. Encontro Europeu da ENPP.